sábado, 12 de maio de 2018

Ração Standard, Premium ou Super Pemium saiba a diferença entre elas

Quem tem cachorro e gato  sabe que a oferta de rações é gigante. É possível encontrar ração a venda desde supermercados a lugares especializados como pet shops.
O que talvez você não saiba é que as rações são classificadas em três tipos: a Standard, a Premium e Super Premium.
Com tantos tipos e tanta oferta, pode ser uma tarefa complicada escolher o alimento ideal
Quer saber mais sobre cada uma e como escolher a melhor?



Ração Standard




Estas rações são balanceadas, entretanto a qualidade da proteína utilizada é inferior. Contêm farinha de carne e ossos, glúten de milho, gordura animal, etc. Os animais vivem perfeitamente bem com estas rações, entretanto têm que ingerir um volume grande para adquirir os nutrientes na quantidade necessária. E não são “ideais” quanto à digestibilidade porque se alcança o percentual de proteína com ingredientes de menor digestibilidade como a soja ou o glúten. Sendo assim a quantidade de fezes também será maior, pois o organismo do animal não consegue absorver muitos nutrientes. Estas rações geralmente possuem uma grande quantidade de palatabilizantes. Corantes e conservantes também são muito utilizados pelos produtores.


Ração Premium





São produtos de primeira qualidade, em nutrição  do cão e do gato , por isso mais caros. Têm sua formulação baseada em carne de frango, ovelha, peru… Porém, realmente carne, ou resíduos de abatedouro, como digestas de frango por exemplo. Tais ingredientes, de origem animal, têm maior digestibilidade, ou seja, o trato digestivo cão e do gato  tem menos “trabalho” para metabolizá-los. Esta é outra característica das rações premium, como a digestibilidade é maior, o consumo diário de ração é menor (o que ameniza o preço da ração). Promovem, ainda, uma vida mais saudável e reduzem o volume das fezes do animal. Os produtos classificados como Premium contém conservantes, corantes e palatabilizantes. Existe ainda a Linha Premium Especial, que não possui corantes.


Ração Super Premium




São rações balanceadas com composição ideal para os animais. Elas são produzidas com 100% de proteína animal, que tem maior digestibilidade. Como dito anteriormente, a digestão, absorção e utilização da proteína de carne animal é muito melhor do que das proteínas vegetais. Quanto melhor a digestibilidade, mais fácil a assimilação. Outra vantagem das super premium é que elas utilizam conservantes naturais, não contém corantes e palatabilizantes (substâncias que deixam o alimento com gosto mais apreciado pelos cães e gatos). Hoje, estas rações são balanceadas para seniors, adultos, filhotes, porte e tem formulação específica até para raças e nível de atividade dos animais. Geralmente os preços destas rações são mais elevados, entretanto devemos fazer uma análise do custo-benefício uma vez que com esta qualidade nutricional o volume ingerido necessário para a manutenção do cão / gato é pequeno.

O que queremos dizer com isto é que a ração super premium é tão “concentrada” que o animal entra em saciedade (se sente satisfeito) com uma pequena porção. E como a ração é muito bem absorvida, o volume de fezes produzido consequentemente é pequeno. 



terça-feira, 1 de maio de 2018

Coleira anti-pulgas Ducão



Mês  passado comprei a coleira anti-pulgas da marca  Ducão,  para meus gatos .Na hora que coloquei tinha um cheiro  forte  logo vi as pulgas andando de um lado para outro  como se estivessem  fugindo.
Na embalagem fala que dura 3 meses , meus gatos estão  usando à  1 mês  ,não  vejo as pulgas mais .


Tirando o cheiro que nos primeiros dias é  forte  eu gostei  não  achei que ia funcionar , mas me surpreendeu.   Paguei R$ 17,50 em cada uma  preço  bom em comparação  com os resultados , meus gatos agora ficam calmos  valeu a pena.






terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Dica de como fazer seu pet gostar de remédios

Quando o nosso pet fica doente, o veterinário prescreve um medicamento para que ele possa se recuperar o mais breve possível, no entanto, conseguir aplicar o remédio no animal de estimação não costuma ser uma das tarefas mais fáceis.


Os remédios possuem odores, gostos e texturas diferentes e, quando o pet não gosta do medicamento, ele fará o possível para rejeitar a aplicação ou ingestão do mesmo. Com o tempo, alguns animais facilitam esta tarefa, mas a maioria dá trabalho.

A boa notícia é que existem alguns truques que podem ajudar o tutor na árdua tarefa de medicar o seu bichinho de estimação.


Superdosagem e restos
No caso de excesso de remédios, procure um veterinário imediatamente. Por causa da composição, não é possível prever o que vai acontecer com o animal. Apesar de alguns remédios em comum, cachorros e gatos nem sempre podem tomar a mesma droga. Gatos, por exemplo, não podem ingerir remédios que tenham Tylenol. “O Tylenol tem um princípio ativo (acetominofeno) que adere o receptor de oxigênio dos gatos e provoca asfixia.

Apenas meio comprimido de remédio com esse ativo pode ser fatal ao animal. Os sintomas do envenenamento são vômito, lentidão, perda de apetite, salivação e gengivas marrons. O gato também pode aparentar inchaço no rosto, movimentos descoordenados, convulsões e coma.

A maioria das pessoas não descarta corretamente os remédios. Não é certo colocar medicamentos vencidos em lixos comuns. Os dentro da validade podem ser doados em postos de saúde.

Algumas abordagens para medicar os pets




Ração em pasta

Fazer um bolinho com ração em pasta (aquelas que parecem comida para felinos), pode ser uma boa solução. O remédio vai ficar camuflado no alimento e, provavelmente, derreter. É importante ficar de olho no animal enquanto ele come para que ele não perceba o comprimido e cuspa.


Pedaço da comida

Esse é o mais comum. Os donos colocam o remédio dentro de uma comida que o animal goste. Geralmente, é um pedaço de carne ou salsicha. Verifique se o animal vai mesmo engolir o alimento. Mas é preciso prestar atenção, pois alguns remédios não podem, em hipótese alguma, ser dados com a alimentação — esse é o caso do Nepresol e de certos remédios para gastrite


Com a ração

Alguns animais comem tão bem que nem percebem quando é colocado algum remédio dentro da vasilha de ração. Geralmente, são bichos de grande porte ou filhotes.


Seringa

A seringa (sem agulha) é a maior aliada dos medicamentos líquidos. Com auxílio do objeto, deve-se esguichar o remédio direito na boca e, depois, segurá-la fechada. Faça uma massagem na garganta do bicho para estimular a deglutição.


Manipulados

Em algumas farmácias veterinárias, é possível manipular os remédios para que fiquem em formato de ração, biscoito ou osso.

Pill  Pocket




O produto é ideal para esconder um comprimido, em tablete ou cápsula de modo que a maioria dos gatos nem sequer notam que há um remédio dentro.














Aplicador de comprimidos


Parece uma seringa com ponta de borracha para não machucar o animal e uma haste para segurar o medicamento.
Como usar:
•    Prenda o comprimido na borracha da ponta.
•    Adicionar uma pequena quantidade de água na seringa para estimular a deglutição (opcional).
•    Enrole seu gato em uma toalha. Assim você consegue imobiliza-lo e se proteger de possíveis arranhões.
•    Inserir o administrador usando a lateral da boca do gato, tentando chegar o mais próximo da garganta.
•    Mantenha a boca fechada do seu pet, com a cabeça inclinada para cima.
•    Observe gato para ter certeza que ele engoliu o comprimido.
•    Ideal tanto para comprimidos ou cápsulas.



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Posso dar resto da ceia para meus pets?

Tanto no Natal quanto no Ano Novo são comuns nas ceias brasileiras carnes como peru, chester, lombo, pernil, lagarto e bacalhau e normalmente as pessoas gostam de comer essas carnes muito bem temperadas com pitadas de pimenta do reino e outros temperos típicos.



É bem comum sobrar um pouco da comida da ceia e muita gente dá um pouco dessas sobras para os pets, principalmente os cães.

Comida humana expõe os cães a toxinas

Os cães devem comer alimentos preparados especialmente para eles, baseados em suas necessidades físicas e no funcionamento de seu organismo. O contato com a comida humana expõe os pets a elementos tóxicos que podem ser fatais.

O consumo de comida humana também aumenta a quantidade de calorias diárias ingeridas pelos cães. Isso colabora para aumentar o peso e, consequentemente, tornar os pets mais suscetíveis a doenças cardíacas e respiratórias, além de dificuldades de locomoção e fraqueza nos ossos e nas articulações.

Alimentos proibidos para a ceia de natal dos pets

– Uva passa: associadas a problemas renais e cataratas;
– Cebola ou alimentos temperados ou cozidos com cebola: tóxicos para cães e gatos mesmo em baixas doses;
– Alimentos feitos com chocolate ou que contenham chocolate: o composto teobromina é tóxico para cães;
– Doces e açúcar refinado;
– Ossos cozidos: se tornam quebradiços e mais duros, favorecendo perfurações gastrintestinais – não ofereça pedaços assados de peru com osso;
– Bebidas alcoólicas.



A ceia do animal de estimação

Fazer algo a parte e diferente da ração para que o animal coma junto com o resto da família não é muito difícil. Na hora do preparo da  ceia principal, basta separar algumas coisas e prepará-las paralelamente, garantindo que eles não sejam temperadas com cebola ou sal, por exemplo. 
Alguns dos ingredientes interessantes de se colocar na ceia de Natal para animais são: pedaços de frango cozidos sem tempero, legumes feitos no vapor e sem sal (cenoura, brócolis, abóbora, batata, ervilha, entre outros) e algumas frutas como maçã e banana. Se quiser deixar o prato dele um pouco mais atrativo, vale cozinhar um pouco de arroz (apenas cozinhar na água, sem óleo, cebola ou sal) e misturar, mas a quantidade deve ser bem pouca. 

Se as comidas ditas acima não fazem parte das que serão servidas para os humanos, você pode substituí-las, mas sempre se certificando de que elas não fazem mal para o pet .  Uma conversa com o veterinário é sempre uma boa ideia. 

Outras opções
Você não fará a própria ceia, encomendou de algum restaurante ou combinou com a família que cada um levará um prato. Além disso, tem que arrumar muitas coisas e não vai sobrar tempo para a ceia de Natal para animais. Mesmo assim não quer que seu bichinho de estimação passe a data comendo aquela mesma ração de sempre. 
A melhor opção para você são as comidas  prontas natalinas. Algumas empresas produzem panetone, papinhas de sabor chester ou peito de peru e até columbas pascoal para animais de estimação. Os produtos levam apenas ingredientes que gatos e cachorros podem comer. 

Onde colocar a ceia do animal

Isso vai de acordo com o temperamento do animal. Se ele prefere estar perto das pessoas e não se importa de comer a Ceia de Natal sem ter muita privacidade, o comedouro pode ser posto na sala mesmo, perto da mesa de jantar. Agora, se ele se irrita com gente tocando nele durante as refeições, encontre um lugar mais reservado. 


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Ração para gatos idosos é importante

Assim como nós seres humanos , os gatos necessitam de cuidados especiais durante a sua fase geriátrica, os quais exigem atenção diferente de um animal mais jovem. A partir dos sete anos de vida, alguns felinos, dependendo de sua raça, são considerados idosos.



Por necessitarem de menos calorias, os gatos  devem receber uma dieta que lhes ofereça proteínas de qualidade e que seja de fácil digestão.


Ração para gatos idosos




 Além da visita regular ao veterinário, a alimentação de seu gato deve ser alterada e deve suprir as necessidades fisiológicas de seu organismo nesta fase da vida. Os gatos são carnívoros e precisam de nutrientes diversos, em especial a taurina e ácidos araquidônicos, os quais são encontrados apenas em carnes. Portanto, dieta “vegetariana” para gatos são prejudiciais a saúde, mas isso não indica que você deverá oferecer carne diariamente e em grande quantidades ao seu animal.

Atualmente existe no mercado  de ração para  animais  uma grande variedade  de marcas e sabores de ração para gatos idosos, que possuem outros nutrientes fundamentais para garantir uma boa saúde ao felino. Rações especiais para esta fase da vida são mais macias, importante característica, já que os gatos idosos contam com dificuldade de mastigação devido à perda dentária, e a maciez também está associada a maior teor de umidade no produto, outro ponto favorável. Gatos bebem pouca água ao longo de sua vida, e com o avanço da idade, a ingestão hídrica é ainda mais reduzida, o que pode levar a problemas de desidratação, renais e gastrointestinais (como a constipação).

É válido lembrar  que a ingestão de água deve ser estimulada por parte dos donos , seja através de bebedouros tipo fonte, trocando a água regularmente ou em casos especiais, a partir de seringa ou colher.


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Receitas caseiras de biscoito canino

O cachorro é o melhor amigo do homem. E, como todo companheiro, merece gestos de carinho. Recompensas por todo o amor que os cães demonstram podem ser feitas em forma de biscoitos. Já pensou em passar um tempo na cozinha criando iguarias para seus pets?

Neste post estão algumas receitas rápidas e fáceis para guloseimas saudáveis e nutritivas para cães, que você pode fazer no conforto da sua casa.



 Receita de biscoito canino caseiro integral

300 gramas de farinha de trigo integral
170 g de farinha de aveia
1 colher de sopa de salsa
70 gramas de leite em pó
250 g de manteiga de amendoim
2 ovos

Modo de preparo

Esta é uma receita para biscoitos caninos feitos com farinha de trigo integral. Misture em uma tigela todos os ingredientes listados, até obter uma mistura homogênea. Estenda a massa utilizando um rolo, corte os biscoitos com os moldes e leve ao forno a 180 ° C por 25 minutos, até dourar.


Receita de biscoito canino caseiro de queijo

300 g de farinha de trigo
40 g de farinha de aveia
70 g queijo  queijo Cheddar picado
25 gramas de queijo parmesão ralado
80 gramas de puré de maçã
2 colheres de sopa de azeite de oliva
3 colheres de sopa de água

 Modo de  preparo

Esta receita de biscoitos utiliza  de queijo Cheddar . Misture todos os ingredientes em uma tigela e amasse até obter uma mistura homogênea. Se precisar, adicione um pouco de água ou de farinha para ajustar a consistência. Abra a massa, e modele os biscoitos. Coloque em uma assadeira e mantenha uma espessura de cerca de ½ centímetro. Asse a 180 ° C durante 30 minutos. Estes biscoitos caninos caseiros podem durar até 2 semanas em um recipiente hermeticamente fechado.



Biscoito de banana e canela

Uma banana e meia, madura;
Um ovo;
Uma colher de sopa de manteiga sem sal;
Duas colheres de sopa de mel;
Uma xícara de aveia em flocos;
Uma colher de chá de canela em pó;
Duas colheres de chá de farinha de linhaça;
Até duas xícaras de farinha de trigo integral (a medida não é exata porque você tem que ir adicionando até atingir o ponto certo da massa).

Modo de preparo

Coloque todos os ingredientes, exceto a farinha de trigo integral, em uma vasilha. Amasse a banana (já descascada) e misture tudo até formar uma massa homogênea. Depois disso, vá colocando a farinha de trigo aos poucos, até descobrir o ponto correto. O ideal é quando a mistura desgrudar os cantos da vasilha. Depois, retire essa mistura, polvilhe farinha em algum lugar (pode ser na mesa, se for de mármore), e comece a sovar até a massa ficar bem homogênea. Quando não grudar mais na mão, abra a massa com um rolo até ficar bem fininha. Corte os biscoitinhos no formato que quiser, existem forminhas com carinhas de gatos, cachorrinhos ou até ossinhos! Depois, coloque em uma travessa, aqueça o forno e asse em temperatura baixa até eles ficarem sequinhos e dourados. Retire do forno, deixe esfriar e dê ao seu cãozinho.


Biscoito canino caseiro de canela


300 gramas de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó para bolos
125 ml de leite ou água
60 ml de azeite de oliva
1 ovo grande
1 colher de sopa de mel
1 colher de chá de canela em pó

Modo de preparo

Misture em uma tigela, os ovos já batidos com a água ou leite e o azeite. Aos poucos, despeje os ingredientes secos e certifique-se de amassar muito bem até ficar homogêneo. Abra a massa com um rolo e corte em formato de biscoito. Asse a 180 ° C por cerca de 15 minutos.



A vida com os gatos , hora de você comer


sábado, 4 de novembro de 2017

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Cães conseguem prever crises de hipoglicemia em diabéticos

Os cães podem ser grandes parceiros de pacientes com diabetes; e se treinados, eles são capazes de alertar sobre quadros iminentes de hipoglicemia.



Nossos companheiros caninos possuem cerca de 25 vezes mais receptores olfativos do que nós. Se tivéssemos essa capacidade, poderíamos perceber uma colher de chá de açúcar dissolvida em duas piscinas olímpicas. Tamanha sensibilidade permite que os cães avisem quando os níveis de açúcar no sangue estão baixos.

Pessoas com diabetes tipo 1 podem ter tremedeira, desorientação e fadiga quando passam por hipoglicemia. Se elas não receberem glicose rapidamente, o quadro pode avançar para convulsões e até mesmo perda de consciência. Alguns pacientes sofrem ataques repentinos, e os cachorros ajudam a evitar esses casos, alertando seus donos ao realizar uma tarefa predeterminada, como latir, deitar ou colocar a pata sobre um dos ombros.

Treinamento












O treinamento de cães para identificar esse processo metabólico nasceu naturalmente de experiências do dia a dia. "Muitos diabéticos donos de cães diziam que o cachorro alertava quando eles estavam prestes a ter uma crise hipoglicêmica. .  As raças treinadas são labrador, beagle, jack russel e springer spaniel.

No entanto, até mesmo vira-latas podem ser treinados.  O que importa é o perfil do animal, que precisa ser sociável.

Na base da recompensa, o cão-assistente aprende a se manifestar quando sentir o odor específico que indica uma futura crise de hipoglicemia. O alerta é combinado com o futuro tutor - pode ser um latido, uma lambida no rosto ou um toque da pata no chão.



sábado, 21 de outubro de 2017

É possível que cachorro e gato consigam conviver juntos ?

A lenda de que cachorros e gatos são inimigos é uma das mais fortes que existem. Mas, ela não poderia ser  tão falsa. A coexistência de cachorro com gato é possível e extremamente saudável. O que normalmente acontece é uma disputa de território.



Quero adotar um gato e tenho um cachorro o que faço para não se atacarem ?

 Você tem um cão e está pensando em adotar um gato e  tem receio de que o cão  não goste? Ou você já possui os dois animais e eles não param de brigar? Apesar de muito gatos e cães não se darem bem no começo, existem maneiras de fazer com que convivam um com o outro. Ao utilizar algumas medidas e entender o que ambos precisam, será possível criar um ambiente feliz, pacífico e saudável mesmo ao ter um cão e um gato sob o mesmo teto.

Como fazer cães e gatos a se darem bem

Embora eles falem línguas diferentes, os cachorros e gatos podem aprender a conviver e entender os sinais uns dos outros.

Filhotes



É a maneira mais fácil de juntar cachorros e gatos, pois ambos irão descobrir o ambiente juntos. O cuidado maior é na alimentação e higiene de cada um, que deve ser feita em locais separados. O cão jamais pode se alimentar da ração do gato ou vice e versa, e filhotes adoram explorar coisas novas, então o cuidado deve ser redobrado.

O gato já está em casa e o cachorro chega

Gatos tem facilidade de se esconderem, e é o que normalmente fazem quando um estranho aparece. É essencial que haja lugares na casa onde o gato possa se esconder e ficar enquanto não se familiariza com o cão, mas jamais deve ser permitido que ele saia de casa.
Naturalmente, o gato irá se aproximar do cão, sentir seu cheiro e se adaptar à convivência.

O cachorro já está em casa e o gato chega

O cachorro se relaciona essencialmente pelo olfato com os outros animais, então é importante mantê-los separados a princípio, para que o cão sinta o cheiro do gato e vice-versa. Após esse período, vá familiarizando um com o outro aos poucos até total adaptação.

 Faça seu cão ser castrado ou esterilizado para reduzir o comportamento agressivo — em relação aos gatos e também a outros cães.
Passeie com seu cão com frequência e brinque o máximo possível — longe do gato — para manter os níveis de energia do cão mais baixos quando ele interagir com o gato mais tarde.

 Leve o cão para um treinamento de obediência realizado por um treinador profissional. Estabeleça uma série de comandos a serem seguidos pelo cão, assim, mesmo que haja um ataque iminente, você estará preparado para impedi-lo com as vozes de comando praticadas.

 Fique no ambiente quando os animais estiverem juntos. Separe os animais com esguichos ou copos cheios de água, caso o cão mostre sinais de agressão e sua voz de comando for ignorada. Sinais de agressão incluem mostrar os dentes, rosnar e assumir uma postura rígida.

 Mantenha áreas separadas em sua casa para cada animal, se possível. Mantenha-os separados sempre que você não estiver por perto para monitorá-los. Deixe roupas velhas de um animal com o outro em áreas separadas, assim eles se acostumam com o cheiro um do outro.

Dicas & Alertas
Nunca tente separar fisicamente uma briga entre seu cão e seu gato, pois você pode ser acidentalmente arranhado ou mordido. Use água como impedimento.




Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...